Custo individualizado de obra: 6 dicas para gerir

O valor despendido em uma construção é sempre uma das principais incógnitas ao se iniciar uma edificação. Diversas são as variáveis e o cálculo pode parecer muito complicado. Neste artigo serão apresentadas X dicas de como gerir o custo da sua obra.

1 – Como começar?

Os primeiros passos nessa empreitada são: a especificação do edifício a ser construído e o cálculo do m2. É importante ressaltar que algumas construções são mais lucrativas do que outras e a apuração do valor a ser gasto torna-se muito relevante.

2 – Como utilizar o Custo Unitário Básico?

O cálculo do Custo Unitário Básico (CUB) pode auxiliar bastante nesse momento. Desde a década de 60, o Banco Nacional Habitacional, junto com a ABNT, disponibiliza mensalmente os valores referentes aos gastos estimados necessários a uma obra.

Receba conteúdos no seu email antes de todo mundo

Esses valores não correspondem exatamente ao valor final da obra, mas servem como base para a edificação a ser feita. Neles estão envolvidos: salários dos profissionais, custo com materiais e equipamentos, além de despesas administrativas.

Vale ressaltar que o CUB não é o mesmo para todas as regiões, sendo necessário encontrar aquele relacionado ao estado no qual será realizada a obra. Para ter acesso ao cálculo do Custo Unitário Básico de São Paulo, basta clicar neste link. Para acessar o de Minas Gerais, o site é este.

3 – Trace um cronograma

O desenho de um cronograma ajuda bastante na hora de gerir os custos de uma obra. Deve-se lembrar que quanto maior o tempo despendido, maior é o desembolso. Além disso, a compra ou aluguel dos materiais adequados, no tempo certo, pode trazer alívio ao bolso.

4 – Utilize-se de planilhas e outras ferramentas de gestão

É realmente importante fazer uso de planilhas e outros softwares que possam auxiliar na hora de organizar as contas. Documente a quantia que foi gasta, o que foi comprado, onde foi comprado e para qual obra foi comprado. Essa pequena dica pode evitar futuras dores de cabeça.

A criação de um gráfico com os gastos previstos versus os gastos efetivos para realizar a construção auxilia na visualização das despesas imprevistas. E lembre-se de sempre fazer uso desses dados, é importante aprender com eles para não repetir erros passados.

5 – Cuidado com os pequenos equívocos

O primeiro ponto deste item são os desperdícios. Toda obra os terá, é inevitável, porém redobrar a atenção para minimizá-los é um grande passo para uma construção ideal.

Avalie TODOS os seus custos! Inclua tudo em sua planilha, desde o combustível utilizado no deslocamento até a obra até os parafusos usados nela. Evite, também, usar as ferramentas e materiais de uma obra em outra.

6 – Fique atento aos seus funcionários

Novamente, crie diferentes planilhas para diferentes obras e documente onde cada colaborador está atuando. Se houver funcionários trabalhando em mais de uma obra, essa situação deverá ser documentada e levada em conta na hora de fechar o mês.

7 – Entre em contato conosco

A Realta é especialista em orçamentos detalhados ainda em fase inicial de edificação. Realizamos seu orçamento com grande aproximação do real valor e provemos soluções que permitem a realização da sua obra no menor tempo e pelo menor custo.

Acesse o nosso site e entre em contato com a gente!