5 características importantes para um planejamento de estudo preliminar de obra

Quem trabalha com construção civil certamente já se deparou com a situação de começar uma obra, o cliente olhar para as paredes sendo levantadas e decidir fazer alterações de última hora que afetam diretamente os custos, além de gerar muito retrabalho.

Deficiências no planejamento e controle estão entre as principais causas de baixa produtividade no setor, de suas elevadas perdas e da baixa qualidade de seus produtos. E, por isso, um bom planejamento é essencial para evitar atrasos, melhorar a produtividade e gerenciar a obra de forma eficiente.

O estudo preliminar

Um estudo preliminar é concebido com base em todas as ideias passadas pelo cliente no briefing, onde foi conversado o que ele quer, o que espera, quais suas necessidades.

A verdade é que sai muito mais barato alterar no papel do que na hora da construção, correto? Então essa etapa apresenta para o cliente uma planta de layout, com uma ideia de como ficará disposto o mobiliário para que o cliente entenda o que cabe naquele ambiente.

Continue lendo para conferir 5 características importantes para um planejamento de estudo preliminar de obra.

1. O que, como, quem e quando?

Antes de tudo, é preciso ter em mente quais são as atividades, como realizá-las, quem irá executá-las e quando.

Um bom planejamento deve ter essas questões bem definidas para que, em qualquer tomada de decisão, esteja bem claro, no papel, quem é o responsável por bater o martelo e avançar.

2. Fatores de competitividade

Há vários tipos de construção e cada uma possui particularidades específicas quanto aos fatores determinantes de competitividade.

Construções pesadas têm sua competitividade determinada pela capacidade de gerenciamento de contratos e integração de produtos de subcontratantes escolhidos, bem como o relacionamento com os detentores de tecnologia.

Edificações residenciais têm como principal fator competitivo o custo, já que é preciso ter em mente que o produto final precisa ser atraente para quem vai comprar o empreendimento.

Edificações comerciais costumam ter como fator crítico a entrega, então o prazo e a rapidez da obra são pontos chave.

3. Estar embasado por um bom estudo de viabilidade

Estudos de viabilidade podem ser aplicados em qualquer empreendimento. A viabilidade de um projeto está diretamente ligada aos fatores econômicos e sociais.

Imagine gastar muito tempo e dinheiro em um empreendimento que não levou em conta se alguém terá condições de comprá-lo?

A Realtá consegue estimar e estudar custos com grande consistência, apurado com base em valores de mercado obtidos em obras controladas pela TecPlaner. Entre em contato.

4. Ter um orçamento preliminar detalhado

A maior parte das pessoas consegue entender que é preciso ter um orçamento para uma obra. Afinal, estamos falando de quanto vai ser gasto ao longo do processo de construção.

A Realtá desenvolve orçamentos completos e detalhados com base em projetos ainda em fase de detalhamento estimando, inclusive, custos não projetados com grande aproximação e analisando soluções técnicas que demandem menor prazo e menor custo.

5. Ter um levantamento quantitativo preciso

A Realtá elabora levantamentos quantitativos com memória de cálculo clara e precisa, calculada cômodo a cômodo, facilitando a conferência e elevando a precisão dos números.

Tudo para que você tenha informações precisas para tomar decisões inteligentes que contornem possíveis problemas sem estourar o prazo nem o orçamento da obra.

Conte com a expertise da Realtá

A Realtá é uma empresa do grupo TecPlaner com foco na análise do seu negócio. Estudamos o impacto econômico de seus projetos desde a fase de viabilidade até a execução. Acesse nosso site e veja o que podemos fazer pelo seu empreendimento ou entre em nosso blog para mais conteúdo.